Especial Semana da TI – Trabalhar com TI no exterior, por onde começar?

Padrão

Convidado especial: Onildo Henrique Batista Filho

Muitos brasileiros nos últimos anos com o desenrolar da nossa economia e das condições políticas do nosso país tem procurado alternativas de trabalho em outros países. No youtube com uma rápida pesquisa é possível encontrar centenas de canais mostrando as maravilhas de se morar e trabalhar no exterior o que faz com que muitos se aventurem nesse objetivo, no entanto especificamente para quem é da área de TI existem reais boas possibilidades de emprego e condições de vida no exterior? Quais os pontos a se analisar? Acompanhem no artigo a seguir.

A escolha do país

onde trabalhar?

Saindo dos nossos mais de 15.000 Km de fronteiras tecnicamente estamos no exterior, mas existe uma boa diferença entre os diversos países, como bem sabemos trabalhar e morar no Paraguai por exemplo é bem diferente de fazer isso no Japão. No nosso próprio continente (América do Sul) existem alguns países que podem oferecer boas oportunidades. Mas são poucos posso citar somente Chile e Argentina no caso do Chile o país está financeiramente mais estabilizado e tem mantido ao longo dos anos um bom crescimento econômico, já a Argentina é o contrário ela vem de uma desastrosa administração bolivariana, não vamos entrar em detalhes pois o foco não é política, no entanto promete se recuperar nos próximos anos e proporcionar boas oportunidades.

Subindo o continente podemos pular a América Central pois a base da economia destes países é o turismo, para um profissional de TI pode ser bom para férias mas para trabalhar…

Chegando à América do Norte cito Estados Unidos e Canadá. Os Estados Unidos dispensam apresentações seria o sonho de consumo para boa parte daqueles que desejam trabalhar e se estabilizar no exterior, as maiores empresas de tecnologia do mundo são de lá, o que faz também que exista uma imensa concorrência com os próprios americanos e com pessoas de todo o mundo, pense o seguinte, com uma população de mais de 300 milhões de habitantes porque contratar um latino?  A não ser que você seja muito bom mesmo no que faz encontrará muitas dificuldades para se estabilizar na terra do tio Sam. No Canadá já é o contrário, possuem um imenso território, mas uma pequena população. Inclusive eles possuem um programa do próprio governo para facilitar a entrada de imigrantes para trabalhar em áreas onde falta mão de obra especializada e TI é uma destas. Dentre todos os países este é o que oferece melhores oportunidades para quem tem boa especialização, não preciso salientar que é um dos países com melhor qualidade de vida do mundo, sem dúvida boa opção.

Na Europa as grandes potências econômicas da região são sempre procuradas, França, Reino Unido e Alemanha apesar de possuírem uma população como bom nível educacional, a área de TI para quem tem boa especialização pode oferecer oportunidades. Os demais países passam por problemas financeiros (Grécia, Itália, Portugal e Espanha) e políticos, para ir para um pais com esses problemas é melhor ficar por aqui mesmo. Na Europa ainda se pode citar a Irlanda países baixos e os nórdicos, mas devido a terem uma população pequena as oportunidades também são menores.

Na Ásia Japão, China e Coreia do Sul. O Japão devido à grande comunidade que existe no Brasil é destino de muitos brasileiros para trabalhar como mão de obra barata na indústria, mas na área de TI as oportunidades são escassas, sem contar que eles formam milhares dos melhores profissionais de engenharia e computação a concorrência será grande, Coreia do Sul é mais complicado ainda, pois não temos uma comunidade e uma tradição com este povo como temos com os japoneses, e também possuem uma mão de obra muito qualificada. Agora a China é bem diferente, apesar de parecer muito complicado principalmente pela cultura e idioma boas oportunidades podem aparecer, principalmente trabalhando em escritórios de multinacionais que precisam de pessoas qualificadas para se comunicar como o ocidente, a população da China é imensa, mas pouca mão de obra qualificada.

Na Oceania somente a Austrália para citar, segue mais ou menos o estilo do Canadá, grande território e pequena população, possuem algumas boas empresas da área de TI e muitas empresas que não são especificamente de TI mas precisam de mão de obra especializada na área. Mas é necessária boa especialização.

O idioma

idioma

Aqui está o principal problema dos brasileiros no momento que decidem procurar oportunidades fora do país, o idioma. O básico para um bom profissional de TI seria dominar o inglês, visto que é neste idioma que se encontram mais de 80% de todo o material de apoio da área de informática. As maiores empresas de tecnologia do mundo são americanas e praticamente os americanos desenvolveram a computação como a conhecemos. Mas não é isso que acontece, no Brasil durante o ciclo do ensino fundamental e médio a maior parte dos alunos não aprende um inglês de alto nível o que acarreta na perda de boas oportunidades na carreira de TI seja no Brasil ou no exterior. Muitos buscam em cima da hora aprender inglês de forma intensiva o que na hora dos testes nas empresas ou mesmo nos testes internacionais de proficiência como o IELTS e TOEFL acabem com um mau resultado e não conseguindo a oportunidade que almejavam.

Mas existem países que possuem mais uma dificuldade, o duplo idioma, como no Canadá que possui dois idiomas oficiais o inglês e o francês, neste caso é preciso mais empenho para aprender outro idioma ou tomar o cuidado de escolher oportunidades em províncias que falem o idioma que você domina. No caso do francês serve para Canadá, França e Bélgica, ou seja, se aprender além do inglês o francês terá oportunidades em mais de um país. O espanhol apesar de renegado por boa parte dos brasileiros, que por ser parecido com português acreditam entender, também é muito bem visto. Mas existem países como Alemanha e Japão que com o inglês você só consegue comunicar o básico, fora dos grandes centros a população não domina o idioma anglo-saxão, e para se destacar é importante aprender o idioma nativo. No caso do alemão poderá ter melhores oportunidades além da Alemanha, na Áustria e Suíça que possuem muitos falantes.

Resumindo se você falar inglês poderá procurar oportunidades nos seguintes países: Estados Unidos Canadá, Reino Unido (Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda no Norte), Irlanda e Austrália, citando somente os que oferecem melhores oportunidades.

Se falar francês, Canadá (Província de Quebec), França (óbvio), Bélgica (40 % da população fala francês) e Suíça (20% da poluição fala francês).

Já o alemão serve para Alemanha, Áustria e Suíça. O espanhol para Espanha e quase todos os países das Américas Central e do Sul com poucas exceções

Aprender mandarim é importante e um diferencial, mas a maior parte das empresas que tem relações com a China se comunicam em inglês se você pensa em se aventurar na China lembre que fora dos domínios da empresa a maior parte dos chineses não compreende inglês.

O inglês é o idioma universal, mas se você for para algum país que não tenha o inglês como idioma nativo procure aprender seu idioma, afinal em outros países também existe vida fora das paredes da empresa e essa vida é no idioma nativo.

Nível de formação e especialização

Mais um ponto importante, a área de TI engloba muitas outras subáreas, e dentre estas algumas possuem mais demanda que outras. Por exemplo existem muito mais profissionais de TI que procuram trabalhar com suporte e infraestrutura que com desenvolvimento de sistemas. E isso reflete na demanda e nos salários oferecidos pelo mercado. No Brasil observamos que profissionais que trabalham com banco de dados e desenvolvimento de aplicações possuem salários maiores do que os que trabalham com suporte, isso não significa que uma área é melhor ou pior é simplesmente a lei da oferta e demanda. Segundo o site APinfo enquanto um analista de suporte tem salário na casa dos 2500 reais um analista programador tem em média 5500 reais de salário. Não é porque uma função ou mais fácil ou mais difícil, isso ocorre simplesmente porque existem mais analistas de suporte que programadores no mercado. E isso deve ser levado em consideração na hora de procurar uma vaga no exterior a maior parte das vagas está relacionada ao desenvolvimento de sistemas. Outras áreas como gestão e projetos também são procuradas, mas a busca é menor. A grande vantagem da TI em relação a empregos no exterior é que as certificações são emitidas por órgãos internacionais, ou seja, valem em qualquer país. E este é mais um diferencial possuir certificações na sua área de atuação será um grande diferencial. Agora caso a empresa exija um diploma de nível superior você terá o trabalho de validá-lo, em muitos países como os Estados Unidos não existe um órgão responsável por esta tarefa então as próprias empresas é que avaliam se reconhecem ou não o diploma, em áreas que possuem reconhecimento de órgão regulamentador como saúde e engenharia a coisa complica, mas computação acredito ser mais tranquilo. Se você estudou um dos cursos mais clássicos como Sistemas de Informação ou Ciência da computação não será tão difícil e além do mais as certificações pesam as vezes mais que os diplomas em TI.

Como conseguir um emprego

          Logo de início já aviso desista de tentar de uma forma ilegal, acredite o nosso pais tem pontos a melhorar mas viver ilegalmente em outro país pode ser uma das mais difíceis experiências que alguém pode ter.  A melhor forma é você primeiro conseguir um emprego e depois com o auxílio da empresa conseguir o visto de trabalho e a documentação. Existem diversos sites em que você pode procurar e se candidatar a vagas de emprego nos mais diversos países, mas sempre se lembre do idioma, se você não tem um segundo idioma fluente as coisas serão muito mais difíceis. Uma outra forma mais fácil é ter algum conhecido no país, isso facilitará muito as coisas, essa pessoa pode inicialmente te dar uma base para começar e auxilia-lo a encontrar um emprego, lembrando que na maioria dos países para ter um visto de trabalho você precisa ter conseguido de forma legal um trabalho no país ou seja, a melhor forma ainda é primeiro conseguir o emprego. Ir com visto de turista e tentar conseguir trabalho é muito complicado mas tem quem consiga, mas a imigração de países como Estados unidos, Canadá e Inglaterra tem muita experiência para barrar pessoas com esse intuito.

jobs

Ir com visto de estudante também é valido, muitos países como Austrália e Inglaterra permitem que com o visto de estudante se trabalhe uma certa quantidade de horas por semana legalmente. E durante este período você pode tentar se firmar no país. Obviamente que você precisa estudar e o trâmite para ingressar no país agora é encontrar uma instituição de ensino para depois conseguir o visto de estudante.

E tem uma maneira mais demorada e cara que é você ir como turista ao país que você sonha em trabalhar, fazer alguns amigos, voltar para o Brasil manter conato com esses amigos, voltar novamente ao país e então começar a planejar a mudança e os empregos que poderá conseguir, mas isso é um planejamento de anos.

Resumindo o projeto para uma mudança dessas deve levar alguns anos, você precisa se planejar, estudar muito o idioma, focar em um país e uma localidade estudar a região os costumes, se planejar também financeiramente pois pode ser necessário no início, até que você consiga se estabilizar, gastar suas reservas, se possui cônjuge e filhos o planejamento precisa ser muito mais abrangente, pois além de você os outros integrantes da família precisam de documentação e necessidades como matricula em escola e aprender o idioma e se desvencilhar da vida no Brasil.  

 Existem muitos benefícios?

beneficios

Essa é uma pergunta muito relativa, se você me perguntasse em relação a qualidade de vida nos países que foram citados a resposta seria um sonoro sim, mas para se ter qualidade de vida é preciso estar bem instalado e vivendo bem no país, não adianta muita coisa você morar na Noruega e não ter dinheiro nem para pagar o aluguel e viver de forma ilegal fugindo da imigração. A adaptação aos costumes locais pode ser muito complicada para os brasileiros em alguns países principalmente os asiáticos, outros países possuem frio intenso em certas épocas do ano como Canadá e em alguns outros países o tratamento dado pelos nativos a estrangeiros não é dos melhores, então a resposta seria, depende. Se você estiver muito bem preparado e consciente do que vai encontrar pela frente pode valer muito a pena. Agora se pretende fazer isso por impulso pode ser que a experiência não seja tão satisfatória. Quando estiver vendo relatos positivos sobre brasileiros no exterior procure também os relatos negativos e faça uma média dos prós e contras para aumentar ainda mais suas chances de sucesso.

Para quem consegue encontrar um emprego e se adaptar ao local escolhido, as experiências podem ser realmente muito satisfatórias com possibilidades de desenvolvimento profissional, educacional e qualidade de vida muito superior ao que encontramos no Brasil. Visto os problemas que bem conhecemos por aqui, no exterior um bom profissional poderá desenvolver projetos muito maiores e ter um desenvolvimento que no Brasil seria muito difícil para não dizer impossível, muitos de nossos cientistas, por exemplo, só tiveram reconhecimento depois de levaram seus estudos para outros países e após o desenvolvimento foram então reconhecidos por aqui.

 Finalizando

          Para finalizar uma única palavra pode ser utilizada, planejamento. Mudar de cidade já é uma mudança muitas vezes difícil, imagine de país com cultura e idiomas diferentes. Então caso se interesse e não tenha ninguém conhecido em outro país, escolha um país pesquise muito sobre ele, se for possível visite-o como turista para “sentir o clima” aprender muito bem o idioma, se for inglês procure obter o TOELFS se for estudar ou o IELTS para trabalhar em países anglófonos, para francês o DEFF/DALF para certificar sua proficiência no idioma. E também se preparar muito bem profissionalmente com certificações internacionais na área de TI para que tenha melhores oportunidades no mercado de trabalho.

Existem ainda muitos pormenores de uma mudança para trabalhar em outro país, tratamos aqui de alguns pontos básicos, no final do artigo existem links com mais conteúdo para você que se interessou pelo tema. Mas se este for mesmo seu destino, não se esqueça de que a palavra para o sucesso da empreitada é planejamento. Planeje bem e boa viagem!

Para saber mais:

Dicas gerais para sair do Brasil – http://sairdobrasil.com/

Imigrar para Austráliahttp://www.brazilaustralia.com/o-mercado-de-ti-na-australia/

Informações sobre TI – http://www.apinfo2.com/apinfo/informacao/p16sumario.cfm

Empregos exteriorhttps://www.jafezasmalas.com/empregos-no-exterior-como-encontrar/

Dicas para trabalhar nos USA http://toad.com.br/2015/03/04/morando-nos-estados-unidos-como-trabalhar-com-ti/

Reconhecimento diplomas USAhttp://passaportebrasilusa.com/2010/12/reconhecimento-diplomas-eua/

Site Canadáhttp://www.cic.gc.ca/english/index.asp

Grupo Imigrar Canadá LinkedInhttps://www.linkedin.com/groups/124838

Onildo Henrique Batista Filho. Especialista em Engenharia de Automação pela faculdade Eniac e graduado em Ciência da Computação pela UnG.  Atualmente trabalha como instrutor da certificação Hardware ICS na Impacta Tecnologia e técnico de hardware na Universidade Guarulhos.
Paralelamente desenvolve projetos na área educacional focado no ensino infantil e fundamental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *